quarta-feira , 23 julho 2014
Últimas Notícias

Qual o melhor smartphone para selfies?

NYT

Lentes frontais dos aparelhos ainda decepcionam; veja comparação entre iPhone, One, Galaxy e Lumia

“Selfie” foi eleita a palavra do ano nos Dicionários da Oxford em 2013. E selfies são um forte negócio; #eu é a terceira hashtag mais comum no Instagram, anexada a mais de 184 milhões de fotos, de acordo com o visualizador da web do aplicativo, Webstagram. (As hashtags número 1 e 2 são #amor e #instabom).

Então por que os fabricantes de telefones celulares não entenderam o recado e não fabricaram ótimas câmeras frontais? A selfies tiradas na maioria dos principais smartphones são quase uniformemente de má qualidade. Elas ficam desfocadas, pixelizadas, escuras, desbotadas, mal iluminadas, granuladas e, o pior de tudo, distorcidas (juro que tenho um nariz de tamanho normal!). Até mesmo o filtro do Instagram chamado “1977″ não consegue esconder o fato de que a maioria das selfies parece que foram tiradas nos anos 1970.

LEIA TAMBÉM:
Leia todas as análises de smartphones publicadas pelo iG

Qualquer passo no intuito de melhorar a câmera frontal parece estar parado, enquanto opções que nos deixam coçando a cabeça, como telas curvas, invadiram as manchetes. Isso é uma falha dos fabricantes de celulares. Debatam o mérito, a tolice ou o narcisismo da tendência o quanto quiserem, mas até mesmo o Presidente Barack Obama e o Papa Francisco foram pegos em selfies em 2013. Essas imagens históricas merecem câmeras melhores.

O principal problema é o tamanho dos telefones. Fabricar melhores câmeras de celulares significa criar sensores maiores e lentes maiores, e isso leva a telefones mais grossos, o que os fabricantes preferem evitar. O custo também é uma questão, porém, as preocupações com o design vêm antes.

“É puramente uma questão de prioridade”, disse Kyle Wiens da iFixit.com, um site dedicado à dissecação das partes internas de eletrônicos de consumo. Os fabricantes com certeza poderiam incluir melhores câmeras frontais nos telefones, declarou. “Seria trivial para qualquer um fazer, simplesmente significaria um telefone maior”.

Maioria das câmeras chega a, no máximo, 2 megapixels

A espessura domina o design dos smartphones, graças, em parte, à grande obsessão da Apple por dispositivos cada vez mais finos (é também o argumento contra baterias maiores, outro elemento dolorosamente lento no design dos telefones); mas os telefones maiores estão virando moda, e se os smartphones continuarem a crescer para o tamanho dos tablets pequenos, podemos acabar tendo mais espaço finalmente.

Por enquanto, no entanto, o cenário dos smartphones está cheio de câmaras medíocres para as selfies.

A câmera frontal na maioria dos telefones principais nos Estados Unidos chega ao máximo a pouco mais de 2 megapixels – uma medida da resolução da foto. Quanto mais pixels, geralmente, melhor a imagem.

Contudo, os megapixels não são a única medida da qualidade da câmera. O tamanho do sensor da câmera também desempenha um grande papel porque ele determina a quantidade de luz que pode ser captada em cada foto. E a maioria das câmeras frontais de celulares é composta por sensores relativamente pequenos. Uma imagem de baixa resolução, combinada com um sensor de imagem pequeno é a receita para uma foto de baixa qualidade, especialmente se você está em ambientes internos ou em um bar ou festa, onde as selfies se proliferam.

Apenas a Apple e, dependendo de quem você perguntar, a HTC, destacaram a câmera frontal como uma característica principal; mas a Apple refere-se a câmera como uma câmera para o aplicativo FaceTime e promove mais a sua capacidade de produzir videoconferências de alta qualidade, e menos a produção de fotos de qualidade.

HTC One é o melhor celular para selfies

Eu comparei quatro dos smartphones top no mercado dos EUA para ver qual tem a melhor câmera frontal:

O iPhone 5S tem uma câmera frontal com apenas 1,2 megapixels. Em geral, as câmeras do iPhone são conhecidas por terem resoluções relativamente baixas, porém boa tecnologia do sensor e das lentes. A câmera traseira do iPhone, por exemplo, é uma das melhores câmeras de smartphones disponíveis, e consegue facilmente substituir completamente uma câmera instantânea.

O Nokia Lumia 1020 possui uma câmera melhor ainda – indiscutivelmente a melhor câmera de celular do mundo, com incríveis 41 megapixels, seis lentes, zoom digital, flash xenon e controles manuais da câmera através do seu aplicativo Pro Camera.

O Galaxy S4 sobe para 2 megapixels, com uma câmera traseira de 13, enquanto o HTC One vai até 2,1 megapixels. A sua câmera traseira tem apenas 4, com ênfase na tecnologia dos sensores, em vez da resolução.

Em meus testes, a HTC One produziu as melhores selfies. Elas ficaram consistentemente focadas e tinham cores vivas, verdadeiras, e a câmera teve um melhor desempenho com baixa iluminação do que a concorrência.

O Nokia Lumia 1020 vem logo em segundo lugar, apesar da sua baixa resolução, mas as fotos em lugares fechados foram piores que as fotos ao ar livre. O Samsung Galaxy S4 sofre com problemas de foco, então suas selfies foram inconsistentes, e qualquer iluminação de fundo resultava em imagens desbotadas.

Galaxy S4: o mais poderoso e versátil

Galaxy S4: o mais poderoso e versátil

Foto: Stella Dauer

Galaxy Note III tem tela de 5,7 polegadas e câmera de 13 megapixels

Galaxy Note III tem tela de 5,7 polegadas e câmera de 13 megapixels

Foto: Getty Images

iPhone 5S é vendido no Brasil por preços a partir de R$   2.799 (versão de 16 GB)

iPhone 5S é vendido no Brasil por preços a partir de R$ 2.799 (versão de 16 GB)

Foto: Getty Images

iPhone 5C está no Brasil com preços a partir de R$   1.999 (16 GB)

iPhone 5C está no Brasil com preços a partir de R$ 1.999 (16 GB)

Foto: André Cardozo/iG

Razr HD: corpo robusto com traseira de Kevlar

Razr HD: corpo robusto com traseira de Kevlar

Foto: Stella Dauer

Moto X tem comandos de voz avançados

Moto X tem comandos de voz avançados

Foto: Stella Dauer

Xperia ZQ: tela é um dos destaques

Xperia ZQ: tela é um dos destaques

Foto: Stella Dauer

Lumia 920: o melhor com Windows Phone

Lumia 920: o melhor com Windows Phone

Foto: Stella Dauer

Nexus 4: Android

Nexus 4: Android “puro” e atualizações garantidas

Foto: Stella Dauer

Optimus G Pro tem tela de 5,5 polegadas e excelente processador

Optimus G Pro tem tela de 5,5 polegadas e excelente processador

Foto: André Cardozo/iG

O iPhone 5S foi a decepção surpreendente do grupo. O seu foco foi inconsistente, as cores tendem a parecer desbotadas e a sua lente produziu a maior distorção do grupo (mais uma vez: o meu nariz não é assim pessoalmente).

Ainda assim, nenhuma das selfies que fiz poderia razoavelmente ser considerada uma boa foto, então, ainda tenho esperança de melhores câmeras frontais no futuro. Se o tamanho continuar não sendo um empecilho ao design dos aparelhos, a câmera frontal poderá tornar-se um diferencial do produto.

Um fabricante de câmeras frontais como a Nokia ou um fabricante de telefones de segunda linha como a Sony, a HTC ou a Motorola poderia introduzir uma nova “câmera selfie” poderosa que atraia a geração do milênio e explore o compartilhamento social de uma forma que seja muito mais eficaz do que um estranho telefone do Facebook com o software em primeiro lugar, como o HTC First.

Existem câmeras frontais de alto calibre em telefones de outros países, ou de marcas menos conhecidas. Por exemplo, o iBerry Auxus Nuclea N, disponível na Índia, apresenta uma câmera frontal de 8 megapixels. E telefones como o Micromax lona Turbo A, o iBall AndiG 4.7G Cobalt e o Huawei Ascend P6 – também disponíveis na Índia – todos têm câmeras frontais de pelo menos 5 megapixels.

No final de fevereiro, será introduzida uma enxurrada de novos celulares em Barcelona no Congresso Mundial de Tecnologia Móvel, uma feira anual do comércio de dispositivos móveis. Haverá um monte de anúncios sobre o tamanho da tela e da resolução, o poder do processador (oito núcleos!), scanner da impressão digital, gostos personalizados do Android, câmeras traseiras poderosas e o crescente foco nas telas dobradas, dobráveis, ou pelo menos levemente curvas. Todavia, provavelmente, pelo menos em uma leitura rápida, não veremos grandes melhorias nas câmeras frontais dos telefones.

O Congresso Mundial de Tecnologia Móvel pode não reivindicar a geração selfie em 2014, mas os processadores de alta performance e as telas curvas não são pontos atraentes à venda de smartphones em um mercado atualmente saturado (Alguém pode me explicar para que serve uma tela curva? Não pode ser para falar ao telefone – quem usa o telefone para falar hoje em dia?) Os fabricantes de telefone seriam sábios em observar o que as pessoas estão realmente fazendo com os seus telefones e projetar pensando nisso. Exigimos selfies melhores!

Tecnologia – Notícias, Análises, Dicas e Especiais – iG

Sobre Redação

Scroll To Top